O que você gosta tanto de fazer que faria de graça?

Muitas pessoas não gostam do próprio trabalho. Outras trabalham apenas para pagar as contas ao final do mês. Pesquisas indicam que muitos profissionais sofrem de depressão pós-férias. Isso mesmo! Ao retornar do período de férias, eles entram em um processo de desânimo, irritabilidade, ansiedade, impaciência, cansaço, falta de motivação e sentem que algo não vai bem. E não vai mesmo!

Essa situação é mais comum que podemos imaginar, ainda mais se levarmos em consideração a situação de instabilidade econômica que o País enfrenta. Esse e outros fatores, como o medo de ficar desempregado, por exemplo, levam pessoas a se submeter a trabalhos que elas não gostariam de realizar. Mas não é somente essa realidade que encontramos por aí, afinal tem muita gente que exerce a profissão, é bem remunerado e mesmo assim está infeliz. Se isso acontece com você, talvez seja momento de parar e analisar a situação com mais carinho e atenção!

Quando o indivíduo encontra-se nessa situação, é normal que ele não consiga fazer uma análise macro, ou seja, não consegue enxergar um palmo a frente dos olhos. Isso pode fazer com que ele se sinta ainda mais triste e perdido. Uma boa solução é procurar ajuda! Um amigo pode ajudar, mas existem profissionais capacitados para esse serviço, como coachs, psicólogos, terapeutas, entre outros. Eles vão ajudar a iluminar caminho para que essa pessoa reconheça a sua frente oportunidades antes não enxergadas.

Propósito

Um bom caminho seria identificar qual o seu propósito de vida. Propósito de vida tem a ver com sentimento de realização: o que você gosta de fazer (gosta muito!) que faria até de graça? Independente de qual for a sua resposta, uma coisa te garanto: você se sentirá feliz e realizado com a execução dessa atividade, bem como com o resultado da mesma.
Com base em sua resposta à pergunta anterior, te pergunto: que tipo de trabalho você poderia ter para fazer o que gosta?

LEIA TAMBÉM:
Comunicação assertiva: criando empatia para o momento certo de falar
Um novo paradigma para uma mudança concreta
Saúde Mental: curando nossas relações doentes

As respostas são inúmeras, as possibilidades são infinitas. Muitas pessoas conseguem encontrar uma maneira de ganhar dinheiro fazendo o que gostam. Outras, descobrem uma atividade (mesmo que não seja comercial) que as faz conseguir encarar o trabalho atual de maneira mais tranquila e amigável. Outras, ainda, conseguem ressignificar o trabalho em que estão e passam a ter prazer em sua atividade laboral ao perceber que lá elas também podem fazer o que gostam.

A resposta é individual, bem como o que cada um decide o que fazer diante dela!

Minha sugestão não é que você abandone seu trabalho – longe disso! -, mas sim que descubra o que te move, o que te dá prazer, e traga isso para sua realidade. Assim, o trabalho não será apenas uma obrigação, mas uma oportunidade que você terá de contribuir com algo que te deixa feliz. Pense nisso!

Entusiasme-se, desenvolva-se e seja mais feliz!

Por Humberta Carvalho

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s