Gung Ho e a arte de trabalhar juntos

Gung Ho é uma expressão derivada da língua chinesa e quer dizer “A arte de trabalhar juntos”. Trata-se de uma estratégia utilizada para levar a equipe a atingir resultados de alto desempenho, utilizando-se de táticas que visam desenvolver e implementar um novo comportamento dentro das organizações, gerando colaboradores estrelas, ou seja, protagonistas de resultados que impactam positivamente o time inteiro e a organização. O Gung Ho consiste em observar a atitude de alguns animais (esquilo, castor e ganso) e estudar como eles crescem em sua natureza.

Os três principais pilares do Gung Ho:

O ESPÍRITO DE ESQUILO

A primeira coisa a saber sobre os esquilos é que eles podem prever tempestades. Mas apesar desse “superpoder” esses pequenos animaizinhos nascem cegos e podem levar até nove dias para enxergar. Outra curiosidade é que suas cores mudam de acordo com o clima e com as estações do ano; são animais muito rápidos, espertos a ponto de conseguirem pressentir as mudanças do tempo. Motivados por saberem que todos trabalham por um objetivo em comum, demonstram em sua agilidade e eficácia compreenderem que estão tornando o mundo um lugar melhor.

Para alcançar o espírito dos esquilos devemos, primeiramente, trabalhar por um objetivo em comum, com meta estabelecida, marcando o itinerário de nossa posição atual para aquela onde queremos estar no futuro. Um verdadeiro líder Gung Ho sabe extrair de sua equipe esses pontos fortes, tomando o cuidado de verificar se todos estão de acordo com os valores da organização. Eles entendem que todas as decisões e ações devem se basear em valores, uma vez que estes são a base em que todos podem confiar.

LEIA TAMBÉM:

Muitos colaboradores chegam nas organizações “cegos”, como os esquilos quando nascem, mas isso não significa que suas capacidades são inferiores às dos demais colaboradores que já passaram pelo processo de aprendizado. Nessa hora, o líder tem o papel fundamental de ensinar o pequeno “filhote” a enxergar, para que ele consiga, assim como os demais, prever as tempestades que poderão os ameaçar.

Você como líder tem conseguido extrair o melhor de seus colaboradores?
A fragilidade dos que acabaram de chegar na equipe é motivo de desânimo ou de estímulo em relação a sua liderança?
Seus colaboradores compartilham da mesma meta?
Eles estão alinhados com os valores da organização?
Eles estão preparados para as mudanças?

ESTILO CASTOR

A capacidade construtiva dos castores sempre foi admirada. Para construir sua casa no meio do rio eles fazem coisas inacreditáveis: usam seus dentes para transformar uma árvore nova em lascas, derrubam árvores e arrastam-nas para uma parte rasa do rio, se as árvores estiverem longe da margem, cavam canais para que os troncos flutuem até o local desejado; depois eles colocam os troncos no local do dique (represa), enterram fortes ripas verticalmente no fundo do rio, encostam nelas os troncos e sobre esses troncos colocam pedras para afundá-los e, sobre as pedras, mais troncos, preenchendo os espaços com pedras, algas e lama.

Estratégia, é o lema desses bichinhos que somam suas forças para atingirem suas metas. São obstinados em obter o melhor resultado para garantir sua própria segurança e a de todo o grupo, por isso trabalham com afinco. Os castores realizam grandes feitos instintivamente, são capazes de proezas incríveis como derrubar uma árvore apenas roendo seu troco ou torná-la oca para que a mesma possa flutuar na água.

Um bom líder deixa suas equipes jogarem. Eles participam da delimitação de campo, escalam o pessoal, treinam, orientam; valorizam suas ideias, necessidades e sonhos, estimulam, mas entendem que na hora de jogar pra valer quem tem que agir é o time, por isso é fundamental confiarem no talento e na habilidade de seus jogadores. As metas são desafiantes e os valores definem o território e regras. Os gerentes devem atribuir cargos aos trabalhadores, certificando-se de que estão no caminho certo e deixando que estes se encarregam de seu trabalho. A organização deve prestar apoio aos seus colaboradores e valorizá-los, considerando a capacidade e competências dos indivíduos que a compõem. Finalmente os gestores devem ser as cabeças sem serem mandões, estimulando e inspirando seus liderados.

Você é um líder estratégico? O que o faz pensar assim?
Que nota você se daria para a capacidade construtiva que tem junto ao seu time?
Você deixa seu time jogar? Escala seus colaboradores de acordo com a capacidade de cada um?
Você valoriza as ideias, necessidades e sonhos de sua equipe? Você os estimula a darem o melhor de si, como um verdadeiro líder GUNG HO?

O DOM DOS GANSOS

O jeito de voar dos gansos favorece todo o bando. Ao bater suas asas eles criam um vácuo para o pássaro seguinte. Voando numa formação em formato de “V”, o bando tem o seu desempenho 71% melhor do que se cada ave voasse sozinha.

Eles se apoiam incondicionalmente, encorajando uns aos outros a seguirem em frente, impulsionados por uma missão, a principal razão para realizarem seu trabalho. Os gansos são barulhentos, eles grasnam para incentivar e encorajar os da frente e aumentar a velocidade.

Para alcançar o dom do ganso é necessário compartilhar uma direção em comum e ter senso de equipe para atingir seus objetivos mais rapidamente e da forma mais fácil possível. Se tivermos tanta sensibilidade quanto os gansos, trabalharemos em formação com aqueles que se dirigem para onde pretendemos ir e nos disporemos a aceitar e oferecer ajuda para realizar o nosso trabalho de forma eficaz. É preciso que haja um revezamento das tarefas pesadas, assim como possibilitar que a sua equipe mostre sua capacidade de liderar.

Você tem permitido que seus colaboradores assumam a liderança sobre suas funções?
Como você estimula seus liderados a se encorajarem uns aos outros?
Você reconhece o desempenho deles publicamente?
De que maneira você poderia estimular o revezamento de tarefas entre suas equipes?

Finalmente, as empresas precisam encorajar os gestores para que estes encorajem seus funcionários para realizarem seu trabalho com entusiasmo e positivismo. Se queremos ser bem-sucedidos, devemos prestar atenção e enxergar o futuro, além de sonhar com os melhores resultados, porque os sonhos nos guiam no caminho para a implementação dos planos e metas. Esse compromisso é a faísca que acende a chama que motiva você iniciar o processo contínuo de motivação junto a sua equipe. Não espere que os impactos da crise ou de qualquer outro fator interno ou externo afete seus resultados, aja!

Por Shirley Brandão

ESTE ARTIGO CONTRIBUIU COM VOCÊ? ENVIE-NOS UM E-MAIL CONTANDO SUA HISTÓRIA: contato@potencialmaximo.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s